"Restava-me o amparo dos livros" - José Jorge Letria

domingo, 3 de novembro de 2013

Cosmética do Inimigo - Amélie Nothomb

Uma opinião já um pouquinho atrasada mas cá vai.

Por vezes olho para a estante e penso: "Não tenho nada de jeito para ler...". Isto porque há vezes em que não me apetece ler um "calhamaço" ou os tipicos romances cor-de-rosa.
É assim, que pego em livros pouco conhecidos. Tenho livros que têm má reputação ainda antes de eu pegar neles, ou mesmo antes de ler uma opinião sobre eles. E isto é um crime literário muito grave. e já estou a cumprir a pena.
Tenho tentado ser menos selectiva nas leituras e dou oportunidades a escritores de quem nunca tinha ouvido falar. Como é o caso de Amélie Nothomb. E fiquei bastante surpreendida.
Saí da minha zona conforto. A Cosmética do Inimigo é um livro aparentemente chato. Começando pela capa e terminado no espaço onde se dá a trama. Quem se lembraria de relatar numa conversa, aparentemente, de circuntância num aeroporto? Onde uma personagem não se cala e a outra não faz intenções de ouvir metade da conversa.
As questões que me fizeram continuar a ler foi: "A que inimigo se refere o titulo?" "O quererá a escritóra transmitir?". E ainda bem que senti esta curiosidade. porque existiram momentos realmente inesperados e chocantes.

Sinto que creci um pouco mais literalmente. Portanto aconselho.




Sem comentários:

Publicar um comentário